Cronicas e reflexões

CONEXÃO SEM LIMITES

http://www.penhacronicasboselli.com/

Publicado por Cronicas/poesias/reflexões em Sexta-feira, 1 de março de 2019

segunda-feira, 6 de abril de 2015

NÃO CONSIGO PISAR EM FLORES

Eu andava apressada na rua em direção ao mercado. Caminhava rápido e ao mesmo tempo cautelosa,por conta de uma calçada irregular e molhada pela chuva fina que caía sem parar.
De repente me deparei com cinco metros de um chão salpicado de flores grandes e vermelhas,recém caidas de uma árvore enorme que tem no quarteirão. O vento forte da manhã,havia jogado todas as flores na calçada ,que estava coloridíssima e perigosa.
Eu tinha que passar pelo chão de flores com muito cuidado, para não levar um belo escorregão,e para tanto,teria que me desviar das flores caminhando com presteza e habilidade,tentando evitar de colocar os pés em cima delas.
Flores lindas,molhadas e escorregadias…
Caminhei de maneira tão bizarra ( em zigue e zangue,com as pernas alternadas,dando pulinhos,virando pra lá e pra cá,com os pés cruzados ) que as pessoas,na rua, começaram a olhar para mim como se eu fosse o ser humano mais esquisito do mundo.O pessoal que estava no ponto e ônibus me olhava com sorriso zombeteiro no canto da boca.Outros,me olhavam como se eu fosse louca ; e outros,ainda abanavam a cabeça em sinal de reprovação pela minha caminhada maluca.
O fato é que eu tinha dois motivos para evitar de pisar nas flores caídas : primeiro que o escorregão ia ser feio ; e segundo, que eu realmente não consigo pisar em flores.
Mas…como explicar isso para as pessoas que passavam por mim ? Dei de ombro que nem criança mal criada,e continuei firme.
Estava terminando o circuito das flores,quando ( um dos meninos do mercado,que fazem entrega de compras) pisou em uma delas na calçada e levou o maior tombo,caindo no chão com todas as mercadorias que estavam dentro das sacolas.Todo mundo correu para ajudar,inclusive eu.
Situação constrangedora,mas que veio para demonstrar a todos alí ao redor, que meus cuidados ao andar por entre as flores,tinha razão se ser.
Me senti justificada, quando olhei para aquelas pessoas espantadas e vi ,na expressão facial de cada uma delas,o entendimento e o significado do meu caminhar cauteloso e cambaleante por entre as flores.


                 *PenhaBoselli* / 2015