Cronicas e reflexões

CONEXÃO SEM LIMITES

http://www.penhacronicasboselli.com/

Publicado por Cronicas/poesias/reflexões em Sexta-feira, 1 de março de 2019

sábado, 28 de fevereiro de 2015

TORTURA VIRTUAL


A gente paga o melhor plano,o melhor giga,o melhor mega,o melhor computador e pra que ? Heim ? Diz ai,pra que ? Todo santo dia a paciência da gente é desafiada por esse mega bosta de serviço ineficiente de internet.
Um dia é porque ventou,no outro dia é porque choveu,e no outro dia porque alguém peidou. Assim não dá. Programas interrompidos,downloads interminaveis,que não acabam nunca,fotos que se arrastam pela tela,e a paciência da gente indo pro ralo. Tem dias que o sistema flui bem,tem dias  ( ou horas ) que some completamente,como se tivesse sido abduzido por naves alienígenas.
A gente alí,sentada na cadeira,com uma idéia fresquinha na cabeça,babando de vontade de materializar na quarta dimensão,e aí fica a mercê de sinais que não chegam,energias que não fluem continuadamente, e cliques que falham mais que gago gaguejando. Quando finalmente o sinal volta,a gente nem lembra mais qual era a idéia,a semente,o cerne da questão. A gente perde o pique,o tesão do trabalho. Assim não dá viu !
Agora mesmo,passei por vários níveis de paciência,levantando da cadeira varias vezes,para dar um tempo. Arrumei cozinha e voltei ( baixei uma foto ).Tomei banho e voltei ( copiei e colei a foto ). Coloquei roupa na máquina de lavar e voltei ( escrevi um texto ). Fiz e tomei um chá,voltei pra cadeira e …chega ! Cansei ! Pára ! Pára tudo !
 Assim não dá ! Isso é tortura ! Tortura virtual.
Optei por desligar o computador e aguardar a normalização da internet,fazendo outras coisas mais amenas e agradáveis. Haja paciência …paciencia de monge budista,para lidar com uma internet assim.
É…assim não dá ! A minha paciência é adequada às coisas palpáveis ( materiais ) mas para coisas virtuais,decididamente ela não funciona. Essa virtude eu não tenho.

                                                                             *PenhaBoselli* / 2015


sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

MURALISMO


Sou uma transeunte que se locomove toda semana entre Vila Mariana e Barra Funda. Gosto de fazer meu tempo útil,sempre tento achar alguma coisa a mais de bom,nas situações de cada dia.
Foi assim que resolvi levar sempre comigo uma pequena máquina fotográfica,para registrar as grafitagens da avenida 23 de Maio. Alguma coisa me dizia que aquela grafitagem velha e desbotada,seria substituída por outras mais novas e coloridas.
Semana após semana,fui fotografando tudo que conseguia,nesse trajeto ( 23 de Maio e Minhocão ) e montando meu arquivo dessa arte de rua. As vezes colhia ótimas fotos,as vezes me decepcionava. mas não desisti.

Minhas suspeitas se confirmaram,quando a prefeitura convidou artistas pintores e grafiteiros,a remodelarem o visual dessa avenida. Ha bastante tempo venho registrando em cliques humildes, apenas partes desses desenhos,porque bato as fotos de dentro do carro,que está sempre em movimento na avenida. Porém os detalhes captados nas fotos dão quadros maravilhosos e mostram o quanto esses jovens são bons no que fazem.
 Quem passa de carro pela avenida,não percebe os detalhes preciosos de cada desenho. Eu mesma fico admirada da qualidade e beleza de cada foto,quando descarrego no computador.

Existem dois tipos de público para Arte de Rua : quem gosta e aprecia e quem olha para as pinturas com desprezo e desdém. Verdade que em algumas exposições é preciso separar o joio do trigo,mas de modo geral as pinturas são bonitas,com significado temático e visual coloridíssimo.


Eu gosto. O trajeto pela avenida torna-se mais suave,e dá pra gente se descontrair um pouco em meio ao caos do trânsito.
Compartilho com voces,esse mosaico de Arte de Rua.


                                                                                                     *PenhaBoselli*/2015


ANDANDO NA CHUVA


Pelo barulho no teto do mercado,imaginei o volume de chuva que estava caindo lá fora. Era muuuuita água. Que bom !
Que Bom ? como voltar para casa a pé,cheia de sacolinhas de compra nas mãos e com uma sombrinha frágil para me proteger?
A chuva caia farta e pesada,com vento forte e desorientado. Olhei para meus pés. Minha alpargata de tecido colorido ( que adoro por sinal ) não aguentaria um quarteirão de calçada encharcada e água suja. O que fazer ? 
Decidi dar um tempo dentro do mercado,fazendo outras coisas,para ver se a chuva diminuía.
Saquei dinheiro no caixa eletronico,fui na farmácia comprar agua boricada,comprei gibis novos na revistaria,fiz mais uma fezinha na lotérica ( vai que…) e…nada da chuva parar.Muito pelo contrário.

Como algumas compras do mercado precisavam de freezer e geladeira,decidi encarar o aguaceiro e voltar para casa.Abri a sombrinha ( faltavam dedos para segurá-la com as sacolas ) e tentei caminhar o mais rápido possível. Não enxergava nada. Era tanto vento e água juntos, que em menos de segundos eu estava molhada da cabeça até os pés. Foi nojento. O quarteirão parecia interminável e as poças de água que atravessei eram sujas e mal cheirosas ( cheiro de xixi misturado com bebida ).

Finalmente quando entrei no prédio ( abri o portão a joelhadas,porque segurança que é bom não apareceu nenhum ) me senti segura. Atravessei a garagem em direção ao elevador e subi ao apartamento, já planejando um bom banho de álcool antes de entrar no chuveiro.
Joguei as alpargatas dentro do tanque e corri para o banheiro com o álcool nas mãos.Passei tanto álcool nos pés que mesmo depois do banho com água e sabão,ainda exalava o cheiro.
 Duas horas depois ( já de noitinha ) minha filha chegou do trabalho. E ao passar por mim fungando o nariz, exclamou :
- O que heim Dona Penha ! já tomou sua cervejinha hoje ? Não esperou nem o jornal da Band ?

Mereço…viu…
Talvez tenha exagerado no banho de álcool…mas foi melhor assim,né ? O seguro morreu de velho. Melhor prevenir do que remediar. Vai que…né…
                                                                                            *PenhaBoselli*
                                                                                                -2015-


quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

AMANTE POR ENCOMENDA


Decidi ( depois de muito pensar ) que estou precisando de um amigo,que seja mais que amigo,alguém que eu possa confiar,dividir meus segredos,compartilhar meus desejos,e que seja bem íntimo. Alguém que possa me entender e captar minhas vontades,só no olhar. Alguém que eu possa chamar a qualquer hora do dia ou da noite,pelo telefone,whats App,messenger,skipe,pombo correio,face time e o escambau.
Também decidi que tem que ser alguém maduro,escolado,e experiente com as coisas da vida.E de preferencia…de bem com a vida ( em todo$ o$ $entido$ ).
Assim sendo dei inicio as minhas sessões diárias de mentalização,para formatar no plano astral e espiritual,o tal amante encomendado, com todas as suas características desejáveis : tipo físico,cor dos olhos,caráter,personalidade,nivel social e financeiro etc…( coisinhas básicas ).

Não pensei que fosse ser tão rápido. O resultado foi “the flash “. O plano espiritual não poupou esforços para atender minha invocação.
 Na mesma semana,conheci dois. Foi na festa de aniversário da minha netinha.Os dois estavam dentro dos padrões especificados por mim no astral ( em aparencia,educação e nível sócio econômico ).
Um deles teria sido perfeito, se não fosse bicha. O outro era grisalhão,rico,educado e carente,porém muito bem casado.
Eu sabia que estava faltando alguma coisa nos meus exercícios mentais. Esqueci de fixar nas visualizações,a figura de um grisalhão solteiro, educado,avulso ou separado… e macho ; e portanto,disponível para o que der e vier. Mesmo tendo obtido noventa pontos nas minhas exigencias, o quesito “casado “ do candidato macho me decepcionou, e achei por bem,reprovar o enviado do céu.

Mais tarde,comentando com uma amiga,ela me explicou o seguinte : que ao pedir as coisas para o plano espiritual,precisamos ser bem claros na maneira de expressar os desejos.Tudo tem que ser dito nos mínimos detalhes e bem definido,do contrário duas coisas podem acontecer : ou o pacote vem incompleto,ou a gente recebe gato por lebre. No meu caso…as duas coisas.
                                                                                                    
                                                                                                  *PenhaBoselli* / maat 2015

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

BANANA PINTADINHA


É isso mesmo : banana pintadinha. 
Sabe a banana nanica quando está amarelinha e bem pintadinha ? Pois é…essa é a hora certa para devorar  a fruta. As pintinhas mostram que a banana está no ponto : em sabor,consistencia ,doçura e vitaminas.Nunca saio para caminhar sem antes comer uma nanica pintadinha. 
A banana nanica é deliciosa de qualquer jeito : picadinha,amassada com mel,com nescau,batida no leite,caramelada no sorvete ou com carne moída ( adoro ).Não tem quem não goste de uma banana bem madura e cheia de pintinhas na casca. Há..! tem mais…a casca pode ser usada para passar em picadas de insetos ou alergias,sabia ?
Comer banana é muito bom. A nanica pintadinha não dança,não canta e não é azul,mas em compensação nutre nosso corpo e nos alimenta de uma maneira deliciosa.Considero uma injustiça,a nanica pintadinha não estar nas paradas de sucesso ao lado da penosa azul que canta e dança.
E aí ? Vai ficar parada olhando pra banana esperando ela fazer cocóricó ? Não se esqueça que a banana dá em pencas,é amarela e não bota ovo.Portanto…vamos comer banana sem remorso.A gente precisa estar bem alimentado para cantar e dançar como a dondoca azul. Vale lembrar que a banana pintadinha é real,foi mãe natureza que fez. Já a outra…

                                                                           *PenhaBoselli* / 2015       

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

TEMPO ABAFADO


É sufocante esse tempo abafado. O céu se fecha em nuvens pesadas,sem um ventinho sequer, ou brisa leve que nos refresque. A gente anda na rua com a sensação de que falta ar. É um bafo que nos cerca e oprime por todos os lados.
Abro a janela,mas parece que pouco adianta. A cabeça fica lerda.os pensamentos anuviados. Affe..! que zica ! Só fico animada quando percebo que vai chover.
Alguns trovões anunciam que o “abafado " pode dar lugar ao “ molhado “ e se assim for,vai refrescar. Hora de fechar as janelas,puxar as cortinas e aguardar.
O bafo quente está ficando morno e os relâmpagos estão faiscando no céu.Só falta cair água. Que venha abundante e fria,para transformar a tarde quente em tarde agradável e prazeirosa.

Morro de medo,mas prefiro o susto dos raios e trovões, do que o ar abafado que sufoca até as ideias da gente. 
Não nasci para viver em estufas. Decididamente,os filamentos do meu dna não tem nenhuma semelhança com qualquer espécie de orquídea ou planta tropical ( que adoram viver fechadas em lugares quentes e úmidos ).
Quero sol e brisa fresca.chuva fina e céu azul.Quero vento fresco entrando alegre e puro pela janela, e enxurrada sussurrando musica pelo chão.
Tempo bom é tempo equilibrante entre frio e calor,chuva boa é chuva mansa,cuja sonoridade repetitiva,nos hipnotiza e relaxa, fazendo a gente dormir gostoso.
Tempo abafado deixa a gente exaurida,sem energia e desanimada.
Alegria..!Alegria..!A chuva veio ! Estou feliz porque está chovendo.Ainda bem que está chovendo. Que bom que está chovendo.
Aleluia !

                                                                                             *PenhaBoselli* / 2015


domingo, 22 de fevereiro de 2015

CAMINHANDO SÓ


Quis aproveitar a mudança do fuso horário e fui caminhar logo depois do café. A ruazinha aqui em frente o prédio é bastante tranquila,e no domingo dá para fazer uma boa caminhada em paz.
Na verdade,a rua não é tão “chuchu beleza “  assim. Tem muitas pedrinhas e cascalhos,buracos na calçada,desnivel na sarjeta,mas…dá pro gasto. Prefiro, do que pegar o carro,me deslocar até algum parque,ficar horas girando em busca de uma vaga para estacionar e me estressar com aquele monte de gente e de bicicleta passando pra lá e pra cá.
Os obstáculos da minha ruazinha ( que tem pedrinhas em vez de brilhantes ) me obrigam a focar a atenção aonde piso. Portanto a minha caminhada é uma caminhada budista : tenho que prestar atenção aonde ponho meus pés. Nada de devaneios e distrações. Minha mente tem que estar em sincronia com o movimento dos pes e os desniveis da calçada,do contrário…posso cair que nem jaca pelo chão.
Foi uma caminhada solitária. Não cruzei com nenhum ser humano,nenhum cachorro,nenhuma pombinha pelo chão ( cena comum aqui no bairro ). Caminhei completamente só.
Será …?  Tive a sensação de que a  brisa fresca,que durante todo o tempo acariciava levemente o meu rosto,parecia dizer que eu estava sendo acompanhada e que tinha mais gente caminhando comigo.

                                                                                                                       *PenhaBoselli*
                                                                                                                              maat-2015-

sábado, 21 de fevereiro de 2015

NO BOLICHE DO SHOPPING


A festa da minha netinha estava animada. Toda a família reunida no espaço do boliche,dentro do West Plaza. Quatro pistas foram reservadas para familiares e coleguinhas da Milena. O clima era de euforia ,com muitos gritos de vitorias, se misturando ao barulho das pesadas bolas rolando pelo chão.

Essa festa me custou três dias de ansiedade,elaborando planos e esquemas mirabolantes, que me poupassem de um piripaque de pânico dentro do shopping. Como o compromisso era impossível de ser proscrito,engoli um tarja preta sub lingual e fui acompanhada dos meus filhos. ; não sem antes deixar bem combinado que eu desceria do carro na rua ( em frente o shopping ) para entrar pelo térreo,e evitar aquele estacionamento horroroso e claustrofóbico,que sobe,sobe e vira,vira.
Eu estava ótima,e consegui caminhar pelas lojas com tranquilidade até o bloco C no terceiro andar. O shopping não estava lotado e o clima no boliche ,além de alegre e descontraído,estava delicioso,porque imediatamente alguém colocou uma caneca de choppe geladinho na minha mão.

Me senti como a fênix,renascida da própria cinza. Ressuscitada e  animadinha,me percebi confiante a peitar umas rodadas de bola na pista. E joguei…joguei…joguei. Não acertava nada ,mas me divertia, e estava feliz. As bolas eram pesadas pra caramba,mas eu não estava nem aí.

O tempo passou,foi cantado o parabéns,tudo muito lindo e chegou a hora de ir embora. Saindo do boliche fomos todos para a casa da minha filha ver Milena ( minha neta ) abrir os presentes.
Ainda no shopping,ao subir a escada do estacionamento,senti uma dorzinha nas pernas.Ao entrar no carro,uma repuxada na cintura,ao descer do carro ( já no prédio da minha filha ) uma dor incomoda no ombro,que parecia meio torcido.Era dorzinha pra cá,era dorzinha pra lá. Que saco !

Minha ficha,então,caiu : eu havia entrado no shopping cheia de animo e não poupei esforços nem movimentos para jogar boliche ( totalmente renascida ) e agora estava colhendo as consequencias ( com dor pra tudo quanto era lado do corpo ).

Que alquimia espantosa eu sofri dentro do shopping : entrei Fenix e saí Condor.

                                                                                                           *PenhaBoselli*
                                                                                                 -20150-

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

O VAZIO


O vazio mora na boca do estômago. É um buraco que nos dá a sensação de depressão,falta de perspectiva,vazio de ideias,vazio de criação,vazio de realização material. É horrível…a gente sente um “estar deslocado “ ,como se não tivéssemos ligação com as pessoas e situações aqui e agora,em tempo real.
Esse vazio nos leva a querer alguma coisa,mesmo sem saber bem o que é.Querer buscar algo, ou ir pra algum outro lugar,sem saber o que buscar,sem saber que lugar é esse,onde fica,onde está localizado…como chegar lá. 

Lá aonde ? Não tem lugar nenhum para chegar. Se tudo já está dentro de nós ( inclusive a paz ) porque essa sensação de vazio,de deslocamento,que nos rouba a tranquilidade ? Que provoca uma ansiedade sem motivo,com respiração curta e ofegante, que precisa ser controlada durante todas as horas do dia,com respirações profundas,pausadas e longas ?
Se temos que passar por isso ( e os Mestres dizem que sim ) é preciso paciência,porque é nesse vazio ,consciente e temporário, que vai nascer o novo. Tem gente que,além da depressão,tem sono,tontura,enjoo. Affe…! Faz parte das mudanças ? Faz.
É o tal processo de “recalibração” energética,preparando nosso corpo físico,para novas informações e códigos de Luz ( Kryon já falava sobre isso ).
Portanto…orai e vigiai. Vamos aguardar…esperar…e esperançar. Os Mestres sabem o que dizem.Eles já trilharam esse caminho.Já experimentaram esse “vazio “,essa sensação de  deslocamento que nos atormenta nos dias de hoje.E nos advertem : a pausa é necessária antes do próximo movimento.Se assim não fosse,não haveria música.

                                                                                                  *PenhaBoselli*
                                                                                                      maat-2015-

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

CABELOS BRANCOS


Decidi não pintar mais meus cabelos brancos.Decidi não passar tinta nenhuma e deixar os fios brancos em paz. Só não pensei que fosse encontrar tanta resistência e preconceito das pessoas,principalmente daquelas que são próximas de mim. Ouvi toda espécie de espanto,tipo : 
Que horror ! Que feio ! Que relaxo ! Que falta de cuidado com voce mesma ! Tua mãe com 90 anos ainda pintava o cabelo…etc…etc…etc…
Incrível como as mulheres tem dificuldade em aceitar a existência de fios brancos na cabeça,não só nas próprias,como na cabeça de outras mulheres também. E pior…sentem-se autorizadas a dar palpites e opiniões ( mesmo que a gente não peça,ou não esteja interessada em ouvir ).
Nenhum homem se atreveu a fazer observações e comentários sobre meus cabelos brancos,já as mulheres…
O fato é que, conforme os fios brancos foram crescendo,foram se tornando meio que azulados na raiz. Sabe,aquele azul translúcido ,bem sutil e bem clarinho ? Pois é.  Aí piorou. Sabe porque ? Porque gostei. Achei o máximo,e estou me sentindo exótica,meia que venuziana com a cabeça dividida em duas cores : o amarelo tabaco ( da tinta antiga ) nas pontas dos cabelos,e o azul esbranquiçado translúcido,na raiz dos fios que vão crescendo. To adorando esse novo visual.
Acho esse  “new look “muito mais adequado as mudanças frequenciais de Luz que estão vindo do centro da Galáxia para o planeta Terra,tipo : novos códigos para o DNA,energias Solaris,quarta ,quinta e sexta dimensão,Luz Diamante etc…
Relevo os comentários que escuto,porque sei que estou me adequando aos novos tempos.É meu corpo entrando em sintonia com um novo planeta,uma nova humanidade : a era de Aquário. E meus cabelos brancos,que estão nascendo azuis,sabem disso.
                                                                                            *PenhaBoselli*
                                                                                                 -2015-

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

E O CARNAVAL ACABOU


Agora que o carnaval acabou,todos os segredos foram revelados. Entre confetes no asfalto,serpentinas enroscadas e fantasias molhadas,os segredos foram revelados. Depois de quatro dias de folias,todos os segredos são desvendados : o amor oculto,a carencia do poeta,a vaidade da passista,o ciúme do amante,o incomformismo das escolas,o bêbado desnorteado e o folião descrente. 
Nada mais está oculto,nem o choro do Pierrot,nem as malandragens do Arlequin,nem a dualidade da Colombina. 
Agora que o carnaval acabou,toda verdade foi revelada : o falso sorriso,as intenções ocultas,o coração impuro,as máscaras caídas,as fantasias rasgadas.

Quais verdades se maquiavam sobre o corpo suado,a mão boba ligeira,o abraço casual e descompromissado ?
 
Agora que o carnaval acabou,todos voltam a ser como eram antes. Cada um no seu espaço, no seu papel de bom cidadão ; porque o carnaval acabou e nada sobrou para ser revelado.Tudo volta a ser como antes na terra de Abrantes,porque em quatro dias de carnaval,tudo já foi mostrado e até os segredos mais comprometedores ( dormentes nas profundezas das almas ) foram desvendados.

Sobraram confetes e serpentinas desbotados pela chuva,e grudados pelo chão. Sobraram fantasias rasgadas,pés machucados,amores ressentidos e foliões cansados. 

Indiferente ao fim do carnaval,a chuva cái ( mansa,contínua,molhada  ) limpando e lavando a cidade de tantos segredos impuros, de tantos amores perdidos,de tantas almas penadas.

                                                                                                 *PenhaBoselli* / 2015



terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

PIRIRI


Chamei  a namorada do meu filho e ordenei :

- Já para o carro,depois a gente volta. Vamos…rapidinho porque não sei se vou segurar.

- Piriri de novo ? ela perguntou aflita.

Nem respondi,já estava dentro do carro dando partida.

- O banheiro dessa loja eu não uso nem a pau.,respondi angustiada.
Estávamos perto de casa e chegamos rapidinho. Subi no elevador mudando de cor a cada andar.Precisava urgente de um banheiro.
O que eu comi,todo mundo comeu.Por que então só eu ?

Em casa começamos a rebobinar tudo que havíamos comido durante  o dia anterior ( eu já estava com piriri logo de manhã ). Quando rebobinamos as bebidas,chegou-se a conclusão que o culpado era o vinho. Só eu havia bebido vinho,portanto o vinho era o vilão da história…ops,digo, do piriri.
Lembro bem que,assim que abri a garrafa,comentei com meu filho que não tinha gostado do vinho (  nem do cheiro,nem do sabor ) Era um italiano meio seco,que eu nunca tinha comprado antes.Parecia impossível,mas “the wine “ ficou melindrado com meu comentário e resolveu se vingar. Olha …fiquei só no chá e bolachinha o resto do dia,com golinhos disciplinados de água para me purificar. Mesmo assim tive que engolir um regulador intestinal,para repor a flora.
Vinho ressentido e cheio de mágoa,eu heim !  Quem tomou cerveja não teve nada,quem tomou coca não teve nada,quem tomou suco não teve nada. Fora isso,toda a comida foi a mesma para todos nós. Mas o vinho…só eu bebi.
Vinho ressentido,problemático e vingador. Foi pro lixo.Joguei tudo fora,mas não sem antes olhar o nome e a marca do meliante,pra nunca mais comprar outro igual. Esse vinho conseguiu me levar pro trono.Aquele que nenhuma mulher faz questão de sentar. Pelo menos não o dia inteiro,né .

                                                                                                     *PenhaBoselli* /MAAT
                                                                                                        -2015-



segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

COMPRANDO CALCINHAS


Quando cheguei perto da bancada de calcinhas,meus olhos brilharam como os de uma criança diante de um brinquedo novo. Eram tantas,tão lindas e variadas,que não sabia qual pegar. As estampas me deixaram encantada : florzinhas,margaridinhas,rosinhas,moranguinhos,lacinhos,boquinhas…verdes,azuis,amarelas…UAU ! Surtei. Listradas em branco e azul marinho ( estilo marinheiro ) salpicadas em vermelho ou preto  ( petit poi ) …nossa ! que riqueza de detalhes.
Peguei uma cesta de arame e fui colocando tudo dentro…que delícia ! Estava determinada a renovar o meu estoque de calcinhas e não ia poupar esforços para isso. Quando me dei por satisfeita,caminhei em direção ao caixa para avaliação e pagamento. Foi então que uma das balconistas me perguntou se eu havia conferido o tamanho das calcinhas. Eu disse que sim sorridente,quando então ela complementou,que o tamanho gravado nos cabides,não correspondiam ao tamanho das calcinhas de fato :
- A senhora precisa conferir uma por uma se é G,M ou P.
Quase caí das pernas. Então eu ia ter que conferir tudo ? Uma por uma ? Affe !
Bom…para não perder tempo,comecei a abrir as calcinhas uma por uma,procurando a etiqueta no seu interior, para conferir o tamanho de cada uma delas. E então,para minha surpresa e decepção, também comecei a ficar murchinha,murchinha. 
Rosinha G,amarelinha P,com lacinho G,de bolinha G,marinheira P,com moranguinho G…M de médio ? Nenhuma…nenhuma…nenhuma…Hó céus…por que ? por que ? por que ?
Fui separando as calcinhas em cima do balcão até não sobrar nenhuma dentro da cesta de compras.
Nenhuma calcinha para pagar,nenhuma calcinha para levar,nenhuma calcinha nova para usar.Nenhuma calcinha tamanho M ( de nenhuma estampa,nenhuma cor ) Fiquei P…da vida.
Esconjuro todas a mulheres desse pais que usam calcinhas de tamanho M e foram comprar nessa loja,não deixando nenhuma calcinha M para mim. O estoque de calcinhas tamanho M ficou zerado. Que azar !
Voltei pra casa cabisbaixa e decepcionada. Pior…sem alegria,tristinha e sem calcinha.

                                                                                        *PenhaBoselli* / maat

                                                                                            -2015-

domingo, 15 de fevereiro de 2015

CARNAVAL


O único bloco que me interessa hoje,é dos sossegados.
Agora mesmo,estou no meu quarto,na minha caminha,sossegadinha e em paz.
- Heim ? Está me chamando de velha ?
  kkkkk...foda-se. O dia que voce descobrir o valor da maravilhosa paz interior,vai dizer :
- Não é que ela tinha razão ?
Aproveite seu carnaval barulhento e desconjuntado,enquanto eu aproveito o meu : introspectivo e sossegado.
Já passei por tudo na vida,já vivi de tudo e já pulei muuuuitos carnavais. Deixo agora,para voces essa experiência de Momo. Aproveitem...podem pular,brincar e suar a vontade.Um dia terei ido embora, e voces estarão no meu lugar pensando e dizendo:
- Não é que ela tinha razão ? O bloco dos sossegados,é o melhor bloco do mundo.
 

                                                                                                     *PenhaBoselli*
                                                                                                              maat -2015-

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

DUOLINGO

Minha filha me convenceu a treinar inglês no Duolingo. No começo levei na brincadeira,brincava com a corujinha e - sem qualquer disciplina -  comecei a burilar o programa. Depois ( aos poucos ) fui me deixando dominar pela auto disciplina,e estabeleci horário fixo para me encontrar com a penosa zoiuda com cara de professor. Tomei gosto pela coisa e fui me envolvendo cada dia mais,porque eu realmente estava rememorando meu inglês esquecido, e conseguia perceber meu progresso,pela quantidade de corações amealhados nas lições. Mas…comecei achar que era pouco…ambiciosamente quis arriscar lições em italiano e espanhol. Por que não ? Ora…miséria pouca é bobagem.
Hoje, completando um mês de italiano,espanhol e inglês,entrei  numa mega pane mental com direito a caimbra na lingua e tudo. Misturei os pronomes,confundi frases,trocava a tradução do inglês,do italiano,do espanhol…um horror ! 
Usted virou you...we are, virou noi siamo... e as frases se misturavam todas,tipo : you are una donna...la nina is beautiful...noi siamo woman… e por aí vai. Parei tudo…Antes que a coruja me desse uma reguada na cabeça,dei um stop geral. A infeliz da coruja começou a chorar na minha tela,decepcionada comigo,e antes que eu sentisse remorso ( nunca faça um professor chorar ) desliguei o ipad.
Acho que dei o passo maior que a perna. 
 
                                                                             *PenhaBoselli* / 2015

MINHA VIDA FOI PELA JANELA


Minha vida foi pela janela.
Calma…eu explico,estou falando de vida virtual : todas as minhas fotos das duas ultimas semanas,todo meu arquivo em grafitagem,tudo que obtive em cliques,nessas duas ultimas semanas,voaram pela janela do carro em pleno transito da 23 de Maio.
Só pude escutar o barulho da máquina fotográfica batendo no chão de asfalto e rolando por  debaixo do carro.Como a 23 de Maio é uma avenida de fluxo intenso,parar na faixa,e tentar recuperar a máquina fotográfica, nem pensar. Mesmo chocada consegui falar para minha filha :
- Segue em frente ! O que está feito está feito. Simbora. Antes a máquina do que eu.

Levei bronca,claro.
 
- Isso já era pra ter acontecido,né mãe... Quanto tempo venho falando pra voce usar o cordão da máquina no pulso ? minha filha já tinha me advertido disso.

O fato é que,para me acalmar,comecei a juntar o lado bom do acontecido,tipo : antes a máquina pela janela, do que eu / grafitagem nova tem todo dia pra fotografar / perdi só o último lote de cliques,as outras fotos eu já tinha descarregado ha dois dias / alguém qualquer hora me dá outra máquina nova ou usada,sei lá /  essa máquina fotográfica que caiu, já estava com a tela toda manchada,dando sinais que estava agonizando.

Fiquei chateada? Fiquei. Mas…nada que duas ou três respirações profundas não me colocasse de novo em paz.
Quanto á máquina substituta,se não vier por mãos caridosas da família,vai vir pelo Magazine Luiza,em dez intermináveis prestações,como foi a minha primeira pretinha,adquirida lá em Marília em 2010.

Não adianta chorar em leite derramado.
                                                                                                   *PenhaBoselli*  -2015-

AS ESTRELAS NOS OBSERVAM

Precisamos tomar cuidado com nossos pensamentos,porque as estrelas nos observam.
Precisamos cautela e prudência nas nossas ações,porque as estrelas nos observam.
As súplicas e invocações que fazemos em nossas orações,tem que estar em sintonia com a verdade oculta no coração,com a sinceridade absoluta,porque as estrelas nos observam.
Nenhuma intenção oculta,altivos pensamentos,pretensões sem mérito,escapam aos olhos das estrelas,e é por isso que elas brilham e piscam o tempo todo no céu.Para nos lembrar que estão ha éons de tempo sobre nós, e que nos observam.
Posso esconder dos homens na terra,todos os segredos ocultos nas profundezas da minha alma,do dia que nasci até a hora da minha morte,mas não das estrelas.Delas nada poderei esconder,porque elas me observam. E isso vale para todos que habitam esse planeta maravilhoso. Viemos para cá,em busca de um corpo biológico,trazidos pela luz de uma estrela,que nos conduziu com segurança pelo  túnel do nascimento,até a primeira respiração.
E desde então,elas nos acompanham e observam. No último suspiro,voltaremos dentro de um tubo de luz,para o lugar de onde viemos.As estrelas sabem disso…por isso nos observam.

                                                                               * *PenhaBoselli *                                                                                  -2015-

FLOR DE VIDRO

a flor era de vidro, quando eu a toquei,ela quebrou.
a flor era de vidro,não tinha aroma,nem perfume,nem odor.
a flor era de vidro,nenhum pássaro a procurava,nem o beija flor.
a flor era de vidro,servia apenas como enfeite,e nada mais.
a flor era de vidro,e alí ficou…na pedra fria,sem afeto,sem carinho e sem amor.

                            


                                             Maat* 2015

MUNDO SEM COR


meu mundo perdeu a cor...ficou cinza,monocromático.
vejo tudo em degradéé,ton sur ton,que lamentável!

a luz que sempre vibrou no ar,na montanha e no chão
agora sumiu,foi embora... a paisagem é só solidão
não tem pássaro no céu,não tem bicho pelo chão
não tem vida,não tem cor,não tem nenhuma expressão.

triste mundo desbotado,quanta melancolia...
triste cena... que me deixa desanimado e sem alegria.

Maria da Penha Boselli* 2015

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

E AGORA TADEU ?



Fiquei feliz por ver Tadeu novamente. Esse moço ( taxista ) tem me conduzido pra lá e pra cá,aqui em Sampa,por muito anos. De vez enquanto leva meus filhos para um ou outro Aeroporto.
Zé Tadeu ( é seu nome ) estava em picos de crise e depressão. Sumiu um bom tempo do bairro. Um conjunto de perdas emocionais ( divórcio,falecimento do pai etc…) acabaram lhe dando uma rasteira e ele se recolheu para tratamento de uma síndrome de pânico.
 Hoje,nesse reencontro fui saber que ele está muito bem,fazendo terapia,tomando remédios controlados e se reerguendo em todos os sentidos.Inclusive com namorada nova.

- Há !…vá ! Não acredito…namorando Tadeu ? Que bom ! Fico feliz que as coisas estejam fluindo bem.
- Pois é Dona Elsa ,ela é mulher madura,dez anos mais velha que eu.

- Isso não é problema,arrematei.Talvez nesse momento da tua vida seja bom uma pessoa experiente,vivida e equilibrada. Com o tempo voces vão se ajustando.

- To muito contente… ( Tadeu sorriu ) .A gente se dá bem,conversa bastante. Ela também é divorciada,vivida,experiente e também passou por depressão como eu, então ela me entende. 

Luis destrambelhou a falar das qualidades da nova namorada, com tanto entusiasmo,exaltando suas virtudes,que desconfiei…final de contas,ninguém é tão perfeito. Quando a esmola é muita o santo desconfia.Mas…fiquei muda.

- Só tem um problema Dona Elsa. (seu semblante ficou sério)
- Sim Zé ? E qual é ? pensei comigo…lá vem.
- Pra senhora posso contar porque confio na senhora e na sua opinião. Ela quer fazer sexo todo  dia.Não é dia sim,dia não… ela quer todos os  dias,semana inteira…mes inteiro…Tá difícil…Não to sabendo como lidar com isso.O que a senhora acha ?

 Tentei disfarçar meu espanto, e depois de alguns segundos em silencio, só consegui balbuciar :
- Bom…
                                                                                                 *PenhaBoselli* / 2015


domingo, 8 de fevereiro de 2015

SAMPACHUVA



A tão esperada chuva chegou. Hoje choveu pra caramba em Sampa. A água caiu farta do céu,grossa e abundante,por um bom tempo.A cidade está limpíssima e todos os cidadãos de Sampa levantam as mãos para o céu,agradecendo a Deus o atendimento das invocações.
Todos esperam que essa chuva tenha elevado o nível das represas,e que o medo avassalador da seca de uma trégua.
Toda chuva,por mais suave que seja,causa vários desconfortos na cidade de São Paulo : semáforos desativados,tuneis alagados,motoqueiros que se ralam pelo asfalto causando congestionamentos enormes,buracos disfarçados em poças de água aparentemente inocentes ,e o humor do paulistano que se torna insuportável. Mas…com a crise da água,todo esse transtorno é relegado a segundo plano, e os cidadãos de Sampa,com as  mãos em prece,clamam pela chuva.
Os Deuses atenderam aos apelos e mandaram ( hoje ) bastante água. Apesar do caos,vejo motoristas sorrindo,nenhum mal humor,nenhuma reclamação.Semáforos permanecem indecisos piscando aleatóriamente,a fila de carros não anda, e pedestres cruzam as ruas, encharcados mas felizes. Me pergunto,se tudo voltará ser como antes,no reino de Abrantes. Esqueceremos a necessidade de mudar nossos hábitos,nossa postura e nossas atitudes em relação a água ? Esqueceremos que é preciso medidas urgentes para a  conservação das fontes remanescentes ? Esquecerão os políticos que é preciso responsabilidade, método e disciplina,para se resolver o problema da crise no abastecimento de água ?
Não aprenderemos nada ? Voltaremos a assumir a postura relapsa de banhos longos e

demorados,torneiras abertas sem compromisso,esguichos jorrando o tão precioso líquido nas calçadas, conduzidos por mãos irresponsáveis,que tem medo de pegar na vassoura ? Vazamentos hidráulicos por falta de manutenção do poder público ? Politicos esquecerão promessas feitas,mudando o foco de suas campanhas para outros eventos, mais suaves e menos preocupantes ?
Aguardemos o desenrolar dos próximos acontecimentos,ops…digo…das próximas chuvas.

                                                                                               *PenhaBoselli*
                                                                                                 -2015-