Cronicas e reflexões

CONEXÃO SEM LIMITES

http://www.penhacronicasboselli.com/

Publicado por Cronicas/poesias/reflexões em Sexta-feira, 1 de março de 2019

domingo, 14 de junho de 2015

DINHEIRO NO CHÃO

Todo mundo gosta de ganhar dinheiro,certo ? Ganhar dinheiro em jogo,apostas,loterias,bingo,bilhetes,é muito bom. Desperta na gente a sensacão de que algo impossível aconteceu. De termos sido contemplados com o inesperado. Ficamos felizes achando que a sorte está do nosso lado,o vento soprando a nosso favor.
Mas existe um jeito de conseguir dinheiro que pouca gente,experimentou na vida : achando dinheiro no chão.


Poucas são as pessoas que tem histórias para contar,sobre dinheiro encontrado no chão : pode ser chão de banheiro,na rua,chão de garagem,chão de supermercado…sei lá .

Eu já passei por essa experiencia  ( encontrei cinquenta reais no chão da garagem de um prédio ) e confesso que fiquei confusa. 
Assim que minha mente começou a rebobinar o ocorrido,a ilusória sensação de felicidade que senti por breves minutos,deu lugar a muitas indagações que me deixaram perturbada : quem teria perdido esse dinheiro ? Teria sido alguma empregada que ia ao mercado para a patroa ? Algum funcionário do prédio ? Seria dinheiro de condução para alguém que ia pegar onibus ou metro ? Ciente de que jamais teia as respostas para minhas perguntas,guardei o dinheiro considerando-o como meu.
Hoje, uma amiga encontrou no chão do parque Ibirapuera,vinte reais.Ficou feliz claro ( se não fosse ela a achar,seria outra pessoa ) mas também questionou o acontecido,assim como eu : e se esses vinte reais fosse o dinheiro contado de condução para alguém voltar do parque para casa ? Se o dinheiro fosse de algum filhinho de papai,só para tomar água de coco,tudo bem,não faria falta. Mas e se fosse de alguém mais necessitado ? Tipo alguém que trabalha pra caramba e deu um duro danado para guardar vinte reais e ir para o parque  no domingo passear ?
Sinceramente…não me faz bem adquirir dinheiro dessa maneira. Não combina comigo,com a minha maneira de querer dinheiro.
Achar dinheiro no chão,traz um certo embaraço que me causa pudor,uma certa perturbação por tomar posse de algo que não me pertence.
Claro que nem toda pessoa que encontra dinheiro no chão tem essa mesma reação que eu.Alguns agradecem a Deus pelo dinheirinho achado,tal é a precisão e necessidade. Outros doam para algum mendigo,paróquia ou igreja,e outros, já correm para a  lotérica com esperança de multiplicá-lo numa fezinha.
Fato é, que dinheiro achado não tem dono. O que é achado não é roubado e a reação de cada um depende de sua necessidade. Não dá para julgar ninguém.
Ruim mesmo, é ser o personagem que perdeu o dinheiro,seja quem for.E se a pessoa que perdeu,é pessoa carente e necessitada, pior ainda. Eu também já perdi dinheiro,sei como é. A gente fica com cara de uai… a gente fica frustrada,não sem antes fuçar e revirar a bolsa de cabeça pra baixo,virar os bolsos das calças do avesso, e chacoalhar todas as sacolinhas de compra até estourar as costuras,na vã esperança de encontrar o dim dim desaparecido.
Situação confusa…todo mundo quer achar dinheiro,mas ninguém quer perde-lo. Só que para a gente achar dinheiro,alguém tem que perde-lo,né ? Que dilema…que contradição. Por outro lado, penso eu que talvez seja melhor a gente perder o dinheiro do que perder a vergonha na cara.Já outros humanos,acham o contrário.Jamais serão o personagem que perde o dinheiro,mas serão sempre aquele personagem que acha o dinheiro,mesmo perdendo a vergonha na cara.

                                                                                  *PenhaBoselli*
                                                                                                          MAAT / 2015