Cronicas e reflexões

CONEXÃO SEM LIMITES

http://www.penhacronicasboselli.com/

Publicado por Cronicas/poesias/reflexões em Sexta-feira, 1 de março de 2019

sábado, 10 de junho de 2017

A TOGA





          
"A toga era uma peça de vestuário característica da Roma Antiga.
Trata-se de uma peça de roupa de origem etrusca. De início, a toga apresentava uma forma retangular e curta. Mais tarde, passou a ser semicircular, tendo seu tamanho aumentado consideravelmente: a toga chegou a atingir aproximadamente 6 metros no lado reto e 2 metros de largura. Por isso, era difícil de usar, pelo que os romanos mais ricos possuíam mesmo um escravo encarregado de ajudar nesta tarefa (o uestiplicus).
A toga era a marca distintiva do cidadão romano, sendo proibido o seu uso aos estrangeiros e escravos. As mulheres romanas também utilizaram a toga, mas gradualmente adotaram a estola (uma espécie de vestido); a partir da época da República a toga passou a ser usada apenas pelas mulheres condenadas por adultério. " ( Wikipedia )

                                                                                                                                                                      Parece que no Brasil o uso da toga assume outros significados bem menos nobres,dependendo do corpo que a sustenta. Seu uso deveria estar associado a nobreza de carater e discernimento em profundas reflexões,mas infelizmente,poucos são os homens que estão conscientes do tripé Toga / Caráter / Missão.
Podemos dizer que depois desse lamentável episódio político ( muito bem encenado por alguns no papel do mal )e muito bem conduzido pelo relator Hanemam Benjamim,ficamos todos com a sensação de que o uso da toga foi brindado com o significado de "adultério ".
Traição aos brasileiros,ao trabalho investigativo da Lava Jato,ao patrimonio público e a Bandeira do Brasil.
A ORDEM e PROGRESSO sempre esteve nas mãos da
Odebrecht,dos politicos primatas e de alguns homens que usam toga ( letra minuscula )
Darth Vader em Guerra nas Estrelas também usava toga.

            
  Maria da Penha Boselli* / 2017